Notícia

Facebook anuncia medidas para eleições americanas que se aproximam

A empresa tem recebido contínuas críticas sobre manipulação de conteúdo político, e em meio a esse cenário o CEO, Mark Zuckerberg, escreveu um artigo de opinião para o USA Today sobre como, apesar das críticas, o Facebook pode e irá desempenhar um papel fundamental nas próximas eleições presidenciais nos EUA:

Com grande parte do nosso discurso ocorrendo online, acredito que plataformas como o Facebook podem desempenhar um papel positivo nessa eleição, ajudando os americanos a usar sua voz onde mais importa – votando. Estamos anunciando a maior campanha de informações sobre votação na história americana. Nosso objetivo é ajudar 4 milhões de pessoas a se registrar para votar.

Para o CEO, o voto é a postura oficial em relação a conteúdo político. As pessoas devem ser capazes de ver o que as autoridades eleitas têm a dizer, já que votaram nelas. Se você não gosta do que elas dizem, use seu voto para mudar isso – não peça que o Facebook as impeça de dizer. Claro que a questão muitas vezes é mais complexa do que isso, mas há uma lógica em seus argumentos. O medo nessa questão sempre foi que os eleitores sejam significativamente influenciados por mentiras espalhadas por líderes políticos.

Por fim, acredito que a melhor maneira de responsabilizar os políticos é através do voto, e acredito que devemos confiar nos eleitores para fazer julgamentos por si mesmos. É por isso que acho que devemos manter a plataforma o mais aberta possível, acompanhada de esforços ambiciosos para aumentar a participação no voto.”

E para incentivar a participação política, Zuckerberg anunciou um novo Centro de Informações de Voto (Voting Information Center), que será adicionado ao Facebook e ao Instagram: “Estamos criando um novo Centro de Informações de Votação com informações oficiais, incluindo como e quando votar, além de detalhes sobre o registro de eleitores, votação por correio e informações sobre votação antecipada. Também incluiremos postagens de funcionários das eleições estaduais e verificaremos autoridades eleitorais locais. Mostraremos este centro na parte superior do Feed de Notícias do Facebook e no Instagram para garantir que todos tenham a chance de vê-lo.”

A meta da empresa é alcançar mais de 160 milhões de americanos com informações autorizadas entre julho e novembro. A plataforma também incentivará que os usuários se registrem para as eleições e também adicionará alertas para que obtenham informações, além de publicar lembretes no dia das eleições – ação que se mostrou bastante eficaz em estimular a participação dos eleitores no passado.

Outra grande medida anunciada é que, em breve, os usuários do Facebook poderão optar por não receber anúncios políticos. Esse recurso começará a ser implantado hoje e estará disponível para todos os usuários dos EUA nas próximas semanas. Será possível desativar anúncios de questões políticas, eleitorais e sociais de candidatos, Super PACs (comitês de ação política) e outras organizações que têm o aviso de isenção de responsabilidade política “Pago por” (Paid for by).

Aparentemente a opção é “veja menos”, mas o Facebook diz que isso efetivamente desativa todos os anúncios com o aviso de isenção. Ou seja, quando você vê um anúncio político em seu feed, terá a opção no menu suspenso para desativar todos os futuros anúncios políticos. Você também poderá desativá-los nas configurações do Facebook e Instagram.

Esses recursos estão sendo lançados inicialmente nos EUA, mas os planos são de levá-los para mais regiões no futuro.

Fontes: USA Today, Social Media Today, CNBC

Talvez você também goste:

Leia mais