Notícia

Facebook surpreendeu rebatendo acusações de “O Dilema das Redes” da Netflix

O documentário da Netflix, lançado dia 9 de setembro, apresenta entrevistas com ex-executivos do Facebook, Twitter, Google e outras empresas, e explora questões como o vício em tecnologia, a disseminação de desinformação e teorias de conspiração, manipulação de eleições e os algoritmos de mídia social e empresas de tecnologia que usam para sugerir conteúdo e direcionar anúncios.

Ou seja, “O Dilema das Redes” levantou muitas discussões sobre os efeitos negativos das práticas de negócios da indústria de mídia social.

E o Facebook não gostou.

Na sexta-feira a empresa divulgou uma refutação de sete pontos ao filme, dizendo que “Devíamos ter conversas sobre o impacto das mídias sociais em nossas vidas. Mas “O Dilema das Redes” enterra a substância no sensacionalismo. Em vez de oferecer uma visão diferenciada da tecnologia, oferece uma visão distorcida de como as plataformas de mídia social funcionam para criar um bode expiatório conveniente para o que são problemas sociais complexos e difíceis”.

Dentre esses pontos, a Variety destacou os seguintes:

  • A empresa afirma que suas equipes de produtos do Feed de Notícias não são incentivadas a criar recursos que aumentem o tempo gasto em produtos do Facebook;
  • Sobre a interferência nas eleições, o Facebook disse que reconheceu “que cometemos erros em 2016. No entanto, o filme deixa de fora o que temos feito desde 2016 para construir fortes defesas para impedir as pessoas de usar o Facebook para interferir nas eleições“;
  • O Facebook diz que “a ideia de que permitimos que a desinformação apodreça em nossa plataforma, ou que nós, de alguma forma, nos beneficiamos com este conteúdo, está errada“. A empresa afirma ter uma rede global de mais de 70 parceiros de verificação de fatos;
  • O Facebook diz que, ao contrário do que o filme sugere, a empresa tem políticas que proíbem as empresas de enviar dados confidenciais sobre pessoas, como informações de saúde dos usuários ou números de previdência social.
  • A empresa afirma ter “feito mudanças significativas” na forma como gerencia os dados dos usuários como parte do acordo com a Federal Trade Commission, pelo qual pagou uma multa recorde de US$ 5 bilhões. “Nós criamos novas proteções para como os dados são usados, dando às pessoas novos controles sobre como gerenciar seus dados e agora temos milhares de pessoas trabalhando em projetos relacionados à privacidade para que possamos continuar a cumprir nossos compromissos de privacidade e manter as informações das pessoas seguras”.

Diversos especialistas de mídias sociais ficaram bastante surpresos com o fato do Facebook ter feito esse documento de resposta, entendendo que não foi nem uma boa estratégia, já que é provável que isso gere mais atenção ao documentário e mais pessoas se interessem por assistir. O comentarista e consultor de mídias sociais, Matt Navarra compartilhou vários desses comentário em sua conta do Twitter na sexta.

De qualquer forma, o documento na íntegra pode ser lido em What ‘The Social Dilemma’ Gets Wrong (em inglês).

 

 

Talvez você também goste:

Leia mais