Notícia

Instagram muda o algoritmo dos stories que compartilham posts do feed

A plataforma havia optado por favorecer o conteúdo original dos stories, em vez de posts existentes compartilhados de outros formatos, mas agora disse que não fará mais essa diferenciação.

Aparentemente, o sistema atual teve um impacto maior do que o previsto em alguns tipos de postagens, e a mudança está acontecendo após o Instagram ter sido acusado de suprimir mensagens pró-palestinas durante o recente conflito de Gaza.

Durante o conflito, plataformas como o Instagram foram amplamente usadas para compartilhar mensagens de apoio dos dois lados – incluindo mensagens pró-palestina, que teriam recebido menos destaque do que os stories originais.

O Instagram explicou que isso foi um efeito colateral não intencional dessa formulação do algoritmo, e não uma tentativa de censurar qualquer ponto de vista. Uma porta-voz da empresa disse que essa lógica de priorizar as postagens originais do formato “também fez com que as pessoas acreditassem que estávamos suprimindo histórias sobre tópicos ou pontos de vista específicos. Queremos ser bem claros – este não é o caso”.

Relatórios ainda apontam que muitos dos problemas tenham sido causados pela moderação automatizada em grande escala, ao invés de tentativas deliberadas de restringir conteúdos por parte de indivíduos.

Apesar da empresa dizer que já havia observado essa questão do alcance dos stories, a mudança está ocorrendo mesmo após várias semanas em que usuários e funcionários estão questionando como o Facebook lidou com as postagens sobre o conflito de Gaza em suas plataformas.

De qualquer forma, o Instagram disse que essa mudança em direção a uma ponderação igual de stories produzidos pro formato e stories compartilhados do feed não será instantânea, mas acontecerá com o tempo.

“Ainda achamos que as pessoas querem ver histórias mais originais, por isso estamos procurando outras maneiras de focar as histórias em conteúdo original por meio de coisas como novas ferramentas criativas”.

 

Fonte: BBC News

Talvez você também goste:

Leia mais