Notícia

TikTok segue operando nos EUA e Trump dá sua aprovação para o negócio com a Oracle

Para dar algum tipo de fechamento para o assunto (que está longe de ser encerrado de fato), a notícia de hoje, em resposta ao que comentamos aqui na sexta, é de que no sábado o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aprovou o acordo Oracle-TikTok, garantindo que o aplicativo continue operando no país: “Eu dei a minha aprovação ao negócio, se eles o fizerem, ótimo, se não o fizerem, está tudo bem também. Eu aprovei o conceito do negócio.”

Essa não é exatamente a aprovação final exigida, mas foi o suficiente para que TikTok fizesse uma declaração oficial sobre o novo acordo: “Estamos satisfeitos que a proposta da TikTok, Oracle e Walmart resolverá as preocupações de segurança do governo dos EUA e resolverá questões sobre o futuro da TikTok nos EUA“.

Na declaração a empresa ainda afirma que a Oracle se torará o “provedor de tecnologia confiável” para o aplicativo, o que incluirá a hospedagem de todos os dados de usuários dos EUA e a garantia de que esses dados permaneçam separados da controladora chinesa ByteDance.

Detalhes técnicos do acordo estão na proposta completa, que inclui os arranjos de separação e uma declaração de que o TikTok terá seu próprio conselho separado nos EUA, que seria aprovado pelo governo dos EUA, e que esse conselho provavelmente incluirá “um ex-funcionário da NSA ou da CIA com habilitação de segurança de alto nível“.

Em suma, a Bytedance vai reter uma participação substancial na TikTok Global (a nova subsidiária do aplicativo de vídeo para o mercado dos EUA) e a Oracle se tornará o provedor em nuvem para o aplicativo, ao mesmo tempo que terá uma participação de 12,5% na empresa. O Walmart também está incluído no negócio e terá uma participação de 8% na recém-formada TikTok Global.

As especificações de como tudo funcionará não são claras, mas aparentemente a TikTok Global será capaz de utilizar todos os algoritmos e sistemas atuais do TikTok, enquanto opera um banco de dados de usuário completamente separado. O acordo também inclui um compromisso de estabelecer uma nova base de operações nos EUA, que empregará 25.000 funcionários.

Além disso, o presidente Trump disse que o negócio também incluirá uma contribuição de US$ 5 bilhões para um fundo de educação – declaração contestada pela Bytedance, que disse no domingo que foi a primeira vez que ficou sabendo desse fundo de educação.

Fontes: Social Media Today, Reuters e Digital Trends

 

Talvez você também goste:

Leia mais