Uncategorized

5 dicas de como trabalhar Storytelling nas redes sociais de forma responsiva

A ideia de trabalhar Storytelling, ou seja, contar uma boa história para engajar um público, existe desde o princípio da publicidade, mas ainda se mostra de forma tímida e é tratada como um conceito emergente dentro do marketing digital. 

As empresas de sucesso têm a capacidade de contar histórias convincentes e que encantam os potenciais consumidores, tudo para que possam reforçar a marca e impulsionar as vendas. 

Sendo assim, trabalhar storytelling de uma empresa que trabalha com blocos intertravados para construção civil, por exemplo, é uma forma que tende a intrigar o público-alvo, e que pode ser feito por meio de uma história divertida, com a qual as pessoas possam se relacionar.

Isso potencializa as campanhas, além de permitir que mais conteúdos sejam produzidos a longo prazo, retomando e continuando o assunto, o que encanta e retém os leads.

O objetivo principal, enfim, é tornar a marca o mais memorável possível, e assim fazer parte da história dos próprios clientes, de uma maneira ou de outra. De preferência, de maneira bastante positiva e que possa ser compartilhada nas redes sociais. 

Alta presença de usuários em plataformas digitais

A tecnologia digital, o crescimento exponencial e acessível aos dispositivos móveis e a expansão das plataformas de redes sociais, se tornaram muito populares para grande parte do público consumidor. 

Além disso, tais plataformas fornecem embasamento para capturar o interesse e os hábitos das diversas gamas e nichos de clientes.

Quando uma empresa que presta serviço de portaria remota se mostra eficiente na geração de conversas sociais, por exemplo, se torna mais eficaz em comparação com aquelas que não sabem trabalhar storytelling sobre uma marca e os bens de consumo,

Isso ocorre porque ela cria uma narrativa adequada e atraente para aquela audiência.

Boas histórias podem fazer a diferença na vida das pessoas, e a narrativa visual é a melhor maneira de se fazer isso. É muito mais provável que o público se lembre de imagens e sentimentos do que dos textos em si. 

No entanto, para contar essas histórias, é preciso entender o que é trabalhar storytelling, e como isso se mostra essencial para o marketing digital, principalmente quando voltado para as redes sociais. 

Como trabalhar storytelling nos dias atuais?

Contar histórias, ou storytelling, ajuda a conectar um consumidor a um produto ou ideia. Não apenas escancara o apelo comercial, incentivando o espectador a ações imperativas, como comprar por impulso e por força da propaganda. 

Em vez disso, trabalhar storytelling permite que uma empresa que atua no setor de plataforma elevatória preço disponível para o segmento industrial, ou qualquer outro empreendimento, faça uma conexão mais pessoal, junto a cada lead, ou seja, o cliente em potencial, humanizando e criando identificação. 

Isso é bom para o consumidor, assim como também é visto sob um aspecto positivo para os profissionais da área de marketing, já que possibilita a exploração da criatividade, podendo se conectar em diferentes canais de divulgação. 

Enfim, o storytelling visa fazer com que o público possa sentir alguma atração com a ideia, objetivando que a emoção leve à ação. 

É uma forma de humanizar a marca e torná-la mais acessível, utilizando uma narrativa que possa criar vínculos e desenvolver a diversidade.

Também consegue-se oferecer mais representatividade ao dizer ao mercado quem é a empresa e o que ela representa na vida dos consumidores.

Para responder à pergunta desse tópico, basta afirmar que esse é um estilo de marketing que conta com mais facilidade na comunicação, rompendo o ruído e as distrações de métodos tradicionais da publicidade, e faz com que o público mantenha o foco e a atenção à mensagem.

Como resultado, as pessoas que estão atentas passam a confiar mais na empresa, passando a relacionar os produtos e serviços a uma marca humanizada, que entende exatamente o que o consumidor almeja, e como tais bens de consumo podem estar ao alcance.

Essa abordagem de marketing pode ser aplicada em diferentes plataformas, incluindo:

  • Blogs (com textos e outros formatos);
  • Redes sociais;
  • Sites institucionais;
  • Vídeos emocionais. 

Sendo assim, não há necessidade em se limitar à palavra escrita, levando em consideração que comerciais bem conceituados, peças de arte, e até mesmo música, podem adicionar um elemento de narrativa à marca, o que faz com que as pessoas queiram saber mais e fiquem mais entretidas.

As 5 dicas a seguir visam ajudar aqueles que querem aprender a trabalhar storytelling de maneira interessante e envolvente, para que possam estabelecer conexões emocionais entre a marca e o público-alvo. 

1. Saiba que tipo de história quer contar 

Antes de incluir uma narrativa em uma campanha de marketing nas redes sociais, é preciso se planejar e gastar algum tempo na preparação.

Dessa forma, é preciso começar identificando a marca e a mensagem que se deseja passar ao consumidor. 

Por exemplo, ao falar sobre esquadria de alumínio sob medida disponíveis para o mercado é preciso considerar outros aspectos antes de mencionar o produto em si.

A forma mais simples de contar histórias pode ser falar sobre o início da marca, os valores que guiam a empresa desde a concepção até a atual posição no mercado. Do mesmo modo, é possível trazer curiosidades sobre o alumínio, sua origem e os benefícios de seu uso.

Qualquer que seja a história que se decida contar, é preciso se certificar de que ela tenha um elemento humano com o qual o público possa se identificar e seja de um tema de interesse dessa audiência. Além disso, é preciso manter foco e alinhar junto aos valores da marca.

2. Veja o que os concorrentes estão fazendo

Pesquisar sobre os concorrentes e a abordagem junto às redes sociais pode ajudar com a narrativa da própria empresa. 

Ao perceber como a concorrência em móveis com estrutura de ferro alcança sucessos e fracassos nas redes sociais, fica mais fácil aprender com as experiências e promover ações mais efetivas, identificando quais os diferenciais que é possível propor. 

Isso evita perda de tempo com estratégias de storytelling, e permitem se concentrar naquelas que contam com evidentes sucessos. 

A maneira como os concorrentes abordam a narrativa permite a coleta de informações. Assim é possível melhorar as próprias estratégias e evitar que determinados elementos não funcionem dentro de uma história. 

Outro fator preponderante, quando se olha para a concorrência, está na possibilidade de inspiração em conceitos e tendências, sem a necessidade de copiar o conteúdo ou estilo. 

As histórias que uma empresa conta devem ser completamente originais, criativas e representar os valores de uma marca. 

3. Conheça o público-alvo com exatidão

Assim como é importante conhecer os concorrentes, é primordial que se pesquise sobre o público também. Não definir isso está entre os maiores erros que uma empresa pode cometer na publicidade. 

É importante entender quem são os clientes, se eles estão interessados em saber mais sobre elevador residencial, bem como outros produtos e serviços que podem ser ofertados, e assim identificar os tópicos que podem atrair todos eles para uma conversa, facilitando a forma de trabalhar storytelling nas redes sociais. 

Conforme é estabelecida uma pesquisa sobre o mercado que a empresa está inserida, e ao qual se deseja alcançar, é possível criar histórias que atraiam os valores e necessidades dos potenciais consumidores. 

Os diferentes dados que se coleta sobre o público devem orientar o estilo de contar histórias. Assim, é preciso identificar:

  • Cultura;
  • Faixa etária;
  • Interesses;
  • Localização.

Essas informações ajudam a evitar contar histórias para o público errado, ou de maneira que fuja do espectro de consumidor final. 

Quando se publica conteúdo que ressoa com o público, é possível notar que muitos usuários presentes nas redes sociais passam a compartilhar, alcançando outras pessoas de maneira orgânica. 

Como resultado, a empresa ganha mais visitantes nos sites corporativos e lojas virtuais, e atrai mais seguidores e clientes. 

Ao criar um contexto que tenha relevância para o público, maior será o apoio necessário para apresentá-los a novos públicos, evidenciando as mensagens que a marca tem a oferecer. 

4. Entenda o básico de uma boa história

Após as dicas acima, é chegada a hora de escrever uma boa história para os potenciais clientes, e aqueles que já estão fidelizados. Assim como na ficção, a história de uma marca deve consistir em um começo, um meio e um fim. 

A história pode começar desde a descrição forte e atraente de personagens e cenários, incluindo problemas que os personagens enfrentam e os conflitos que eles precisam resolver. 

Ao encerrar uma história, vale ressaltar para o público como a vida dos personagens melhorou depois de superar os obstáculos, seja com o uso de concentrador de oxigênio preço desenvolvido pela empresa, ou outra solução eficiente e que está acessível. 

Crie uma experiência emocionante para os leitores, ouvintes ou telespectadores, e eles continuarão a retornar aos perfis das redes sociais para descobrir o que acontece a seguir. 

5. Escolha o canal certo para contar histórias

A internet está repleta de plataformas digitais e redes sociais, e cada uma possui características e peculiaridades que devem ser respeitadas, principalmente quando se trata de trabalhar storytelling empresarial. 

Para executar, com sucesso, uma campanha de storytelling de um escritório que desenvolve projetos de arquitetura, por exemplo, é preciso selecionar os canais de comunicação mais apropriados. 

Assim que se determina qual o público-alvo, fica mais fácil ter uma ideia sobre quais as plataformas podem ser utilizadas e os formatos mais atrativos, levando em consideração as plataformas que estão em alta, como:

  • Facebook;
  • Instagram;
  • LinkedIn;
  • Twitter;
  • Youtube.

Se a empresa pretende expandir o alcance, é preciso avaliar dentre as opções de plataformas existentes em qual delas essa proposta é possível. 

Geralmente, diferentes redes sociais têm os próprios pontos fortes, e atraem diferentes grupos de usuários e tipos de conteúdo. 

Conclusão

Sempre que possível, é preciso trabalhar storytelling em diferentes canais, e seja qual for, é preciso manter uma mensagem consistente e um padrão de alta qualidade com todo o conteúdo que for postado. 

A escolha da plataforma mais adequada ao público pode levar a resultados surpreendentes, ainda mais quando é possível apresentar as histórias em diferentes formatos. 

Contanto que se persista e crie personalidades com as quais o público possa se relacionar, o storytelling será uma parte essencial dentro de qualquer estratégia de marketing digital. 

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Talvez você também goste:

Leia mais